Source: (2006) en, Catherin Slakmon, Maíra Rocha Machado and Pierpaolo Cruz Bottini (eds.), Novas Direções na Governança da Justiça e da Segurança (Brasília- D.F.: Ministry of Justice of Brazil, United Nations Development Programme – Brazil, and the School of Law of the Getulio Vargas Foundation - São Paulo). pp. 217-226.

Tratar da Reforma do Judiciário no Brasil exige, antes de mais nada, que se faça uma reflexão sobre a amplitude do tema e dos assuntos a abordar. As atividades para a melhoria da prestação de justiça não se resumem, nem se limitam, à estrutura e à organização do Poder Judiciário apenas, mas devem ser direcionadas a todos os órgãos e instituições que operam e contribuem para a solução de litígios, como o Ministério Público, a Defensoria Pública, a advocacia, pública e privada, aos demais poderes constituídos, aos institutos de arbitragem, mediação e afins e, como não poderia deixar de ser, à sociedade civil e ao cidadão, destinatários finais de todos esses serviços. (extracto)